Grupo armado tenta seqüestrar navio petroleiro no sul da Nigéria

Lagos, 9 jun (EFE).- Um grupo armado tentou abordar hoje uma embarcação petroleira no rio Calabar, no sudeste da Nigéria, mas militares que escoltavam o navio conseguiram repelir o ataque que deixou vários marinheiros feridos, conforme informaram fontes oficiais.

EFE |

Segundo o porta-voz das Forças Armadas da Nigéria Sagir Moussa a embarcação, pertencente à companhia canadense Addax Petroleum Corporation, navegava rumo ao estado de Rivers, na zona do delta do Níger, quando foi atacada por homens fortemente armados que se deslocavam em lanchas de alta velocidade.

O porta-voz acrescentou que três dos marinheiros integrantes da patrulha do petroleiro e um civil, membro da tripulação da embarcação, ficaram feridos no tiroteio que durou vários minutos.

Moussa desmentiu taxativamente, no entanto, versões jornalísticas de que o navio teria sido abordado pelos piratas e que vários marinheiros da escolta teriam sido seqüestrados.

"Não seqüestraram a embarcação e também não capturaram nenhum dos membros da escolta", afirmou o porta-voz.

Fontes da Adax disseram que o navio está atracado nos píeres de Bonny, um dos principais terminais de carga das exportações petrolíferas da Nigéria, e confirmaram que três pessoas ingressaram em uma clínica da região com ferimento de bala.

Na zona do Delta do Níger operam vários movimentos militantes que se sustentam vendendo petróleo e produtos refinados roubados dos oleodutos que cruzam a região e cobrando resgate para libertar operários e empregados das multinacionais petrolíferas que seqüestram.

Os ataques contra instalações petrolíferas e os seqüestros de trabalhadores estrangeiros das multinacionais causaram uma diminuição na produção petrolífera da Nigéria, o primeiro exportador de petróleo da África e sétimo entre as nações que formam a Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep). EFE dá/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG