Grupo armado seqüestra 2 freiras na fronteira de Quênia e Somália

Nairóbi, 10 nov (EFE).- Um grupo de homens armados seqüestrou duas freiras hoje, na casa delas, em Elwak, no nordeste do Quênia, informou à Agência Efe a Cruz Vermelha, acrescentando que os seqüestradores poderiam tê-las levado à Somália, cuja fronteira fica a apenas dois quilômetros do local do crime.

EFE |

"Ainda não podemos confirmar a nacionalidade das freiras, mas moradores dizem que eram provavelmente italianas, com cerca de 30 anos", disse à Efe Titus Mungóu, responsável de comunicação da Cruz Vermelha queniana.

O seqüestro ocorreu durante a madrugada, quando os criminosos chegaram a Elwak, onde roubaram três veículos -dois do Governo queniano e um de uma escola local-, e levaram as duas freiras, sem deixar feridos, explicou Mungóu.

"Embora não tenham se identificado, tudo aponta que são somalis", disse Mungóu, afirmando que "provavelmente fugiram em direção à Somália".

Elwak, a 230 quilômetros de Mandera, capital do distrito, tem forte influência islamita e os conflitos entre seus habitantes e os moradores da Somália são freqüentes.

A zona nordeste de Mandera sofre freqüentes secas, embora nas últimas semanas, segundo a fonte da Cruz Vermelha, tenham ocorrido fortes chuvas, causando inundações em diferentes pontos do distrito, onde se temem epidemias de malária e de doenças transmitidas através de água.

As más condições do tempo e os problemas ocasionados, acrescentou Mungóu, reavivaram recentemente os confrontos entre os clãs de Garre e Murule, de ascendência somali, nos quais pelo menos oito pessoas morreram e centenas precisaram deixar seus lares. EFE pa/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG