Grupo armado assume sequestro de soldados de missão de paz em Darfur

Cartum, 14 abr (EFE).- Um grupo armado de Darfur assumiu a autoria do sequestro dos quatro sul-africanos da missão de paz conjunta da ONU e da União Africana em Darfur (Unamid, na sigla em inglês).

EFE |

Em uma conversa por telefone com a Agência Efe, Ibrahim al Dukki, que assegurou ser o porta-voz do Movimento de Luta e Resistência Popular de Darfur, exigiu o pagamento de um resgate e a soltura de vários de seus membros em troca da libertação dos reféns.

Segundo Dukki, os quatro reféns, dois homens e duas mulheres, estão em bom estado de saúde.

Mais cedo, a Unamid confirmou por meio de seu porta-voz, Noureddine Mezni, que os quatro tinham sido sequestrados por um grupo armado.

Os reféns trabalhavam como assessores policiais e estavam destacados em um acampamento a sete quilômetros de Nyala, capital da província de Darfur do Sul. Eles foram sequestrados no domingo passado quando retornavam para suas casas em um mesmo veículo.

Inicialmente, a informação era de que o grupo havia desaparecido na segunda-feira.

"Estamos fazendo todos os esforços possíveis em todas as frentes para tê-los sãos e salvos", disse Mezni, ao informar que a Unamid ainda não entrou em contato com os sequestradores, cuja identidade assegurou desconhecer.

A Unamid montou um gabinete de crise e está em permanente contato com as autoridades sudanesas, as quais, segundo Mezni, têm a responsabilidade de assegurar a integridade do pessoal desta missão internacional de paz.

Desde que a missão de paz conjunta foi estabelecida, no começo de 2008, mais de 20 soldados da Unamid morreram.

A missão é formada por 16.852 militares e 4.675 policiais, segundo dados de fevereiro, os mais recentes.

O conflito em Darfur, que explodiu em 2003, deixou mais de 300 mil mortos e obrigou 2,7 milhões de pessoas a abandonar suas comunidades de origem, segundo números da ONU. EFE jfu/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG