Grupo armado assume incêndios contra instituições públicas na Nicarágua

Manágua, 27 mar (EFE).- Um suposto grupo armado clandestino, autodenominado Comando Patriótico Nicaraguense (Apostam), assumiu os atentados incendiários contra três escritórios governamentais no norte da Nicarágua, informou hoje O Novo Diário de Manágua.

EFE |

O grupo, que diz combater a corrupção, enviou um comunicado ao jornal atribuindo para si os ataques ocorridos no dia 28 de fevereiro.

Os incêndios afetaram parcialmente os escritórios do Instituto Nacional de Tecnologia Agropecuária (INTA), Instituto Nacional Florestal (Inafor) e do Ministério Agropecuário e Florestal (Magfor) no departamento de Nova Segóvia, norte da Nicarágua.

"Como organização armada não pretendemos enfrentar o Exército nem a Polícia, pois até hoje eles demonstraram profissionalismo e honestidade", diz a nota do Apostam.

Até agora, nenhuma das instituições armadas consultadas pela Agência Efe emitiu comentários sobre o comunicado.

Os líderes do grupo, que ocultam sua identidade com pseudônimos como "Emmanuel", "Israel" e "Máximo", afirmam que sua ação é de repúdio contra "políticas corruptas" do Governo sandinista e do opositor Partido Liberal Constitucionalista (PLC).

O Apostam alerta sobre futuras ações contra escritórios governamentais como parte de sua luta "dirigida a políticos com nomes e sobrenomes, dilapidadores do povo". No entanto, o grupo não mencionou ninguém em particular.

Segundo o jornal, uma fonte policial comentou que o comunicado do Apostam pode se tratar de "um ataque político ao Governo" sandinista ou a ação de uma pessoa inconformada com alguma resolução administrativa desfavorável, emitida pelo Inafor. EFE fm/pb

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG