Grupo alega que houve massacre em prisão na Síria

BEIRUTE (Reuters) - Um grupo de direitos humanos sírio, com base em Londres, afirmou neste sábado que forças de segurança da Síria mataram dezenas de prisioneiros durante um motim em uma cadeia militar perto de Damasco. O Observatório Sírio de Direitos Humanos afirmou que os policiais militares atiraram contra prisioneiros islâmicos que protestavam dentro da cadeia de Sidnaya, no início deste sábado.

Reuters |

'O número de mortos está em dezenas', afirmou o grupo em um comunicado. 'Prisioneiros foram para o telhado, temendo por suas vidas. Policiais militares ainda estão atirando...'

As autoridades sírias não fizeram nenhum comunicado imediato em resposta ao relatório.

'O Observatório Sírio de Direitos Humanos exige que o presidente Bashar Assad intervenha imediatamente para interromper esse massacre', disse o grupo.

A Síria mantém centenas de militantes islâmicos aprisionados, bem como outros prisioneiros políticos. Grupos internacionais de direitos humanos reclamam com frequência sobre prisões aleatórias e prática de tortura nas cadeias sírias.

(Texto de Nadim Ladki)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG