Gripe suína: risco de contágio permanece dias após a febre

Algumas pessoas infectadas com o vírus H1N1 podem transmitir a gripe suína até oito dias após o desaparecimento da febre, revelam estudos apresentados nesta segunda-feira nos Estados Unidos.

AFP |

Duas pesquisas, realizadas no Canadá e em Cingapura, concluíram que entre 19% e 30% das pessoas infectadas podem transmitir a gripe suína até oito dias após o desaparecimento da febre.

"Este estudo revela que o contágio não se dá apenas após 24 ou 48 horas, mas por até uma semana" depois do desaparecimento da febre, explicou o doutor Gaston De Serres, do Instituto Nacional de Saúde Pública de Quebec (Canadá), durante a 49ª Conferência Anual sobre agentes antimicrobianos e quimioterapia (ICAAC), em San Francisco (Califórnia).

Dos 43 pacientes infectados com o vírus H1N1 e analisados no estudo, oito ainda tinham vírus ativos no sangue capazes de se multiplicar e contaminar outras pessoas oito dias após o desaparecimento da febre, disse o doutor De Serres.

O segundo estudo, realizado pelo doutor David Lye, do hospital Tan Tock Seng de Cingapura, analisou 70 pacientes com gripe suína e revelou que entre 20% e 30% ainda eram portadores do vírus potencialmente contagioso após oito dias, e até por onze dias, no caso de um pequeno grupo.

Para os pacientes tratados com antivirais, este período de contágio foi mais curto.

js/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG