Gripe suína prossegue com avanço e chega à China continental

A gripe suína driblou as medidas rígidas impostas por Pequim ao ser diagnosticada em um homem da província de Sichuan, centro-sul do país, que acabara de retornar dos Estados Unidos.

AFP |

O novo vírus já matou 53 pessoas - 48 no México, três nos Estados Unidos, uma no Canadá e outra na Costa Rica - e foi diagnosticado em quase 4.500 em 30 países. Segundo os últimos dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o países com mais casos confirmados são Estados Unidos (2.254) e México (1.626).

O Brasil confirmou mais dois casos de pacientes e agora tem oito pessoas com a doença.

As autoridades chinesas confirmaram a notícia do primeiro contágio na China continental e procuram agora as pessoas que viajaram ao lado do infectado, identificado apenas como Bao, que chegou no sábado a Chengdu, capital de Sichuan, procedente dos Estados Unidos após uma viagem via Tóquio e Pequim.

No início do mês já havia sido detectado um caso de gripe A (H1N1), nome oficial da doença, na região administrativa chinesa de Hong Kong.

"A província de Sichuan confirmou um caso de vírus da gripe A (H1N1)", afirmou o porta-voz do ministério da Saúde, Mao Qunan.

Bao viajou a Pequim a partir de Tóquio no voo NW029 da Northwest Airlines, antes de seguir para Chengdu.

As autoridades informaram que a maioria dos passageiros do voo entre Pequim e Chengdu foram localizados e colocados em quarentena. Também anunciaram que 120 dos 144 passageiros do voo Tóquio-Pequim foram localizados.

O jornal Diário de Pequim afirma que os dois voos tinham 75 estrangeiros.

O governo continua tentando localizar os demais passageiros e colocou em observação a equipe médica que tratou Bao.

A China tem mais de 300 pessoas em quarentena como medida de precaução. O governo do país se defende das críticas internacionais às medidas adotadas, sob a alegação de que o objetivo é evitar "consequências catastróficas" que a propagação da epidemia teria no país de maior população do mundo.

O México denunciou no domingo que 14 cidadãos do país continuam em quarentena na China e um em Cingapura e protestou publicamente por estas medidas.

O Canadá também pediu explicações na semana passada pela quarentena imposta por Pequim a 26 estudantes canadenses.

O governo mexicano desaconselhou a população a viajar à China e cancelou a participação no Salão Internacional da Alimentação (SIAL), que acontecerá de 19 a 21 de maio em Xangai.

Em mais um protesto, a Federação Mexicana de Futebol (FMF) anunciou na sexta-feira sua retirada das competições da Conmebol (Libertadores, Sul-Americana e Copa América), porque os clubes do país não podem jogar em casa na Libertadores em consequência da gripe suína.

A ONU condenou as quarentenas impostas segundo critérios de nacionalidade para conter a gripe, por considerá-las discriminatórias.

sai-dma-burs/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG