Gripe suína: prioridade são pacientes fragilizados por outras doenças

As autoridades de Nova York estão concentrando esforços nos pacientes que apresentam um quadro de gripe suína com problemas preexistentes de saúde, depois do falecimento de um enfermo na véspera.

AFP |

O prefeito Michael Bloomberg precisou em entrevista à imprensa que 12 escolas de Nova York permaneceram fechadas nesta segunda-feira devido à epidemia de gripe suína que, domingo, matou um professor de uma escola do bairro de Queens.

"Não temos a capacidade de deter a progressão do vírus", comentou o prefeito, que voltou a lembrar as precauções básicas de higiene que devem ser adotadas contra a enfermidade.

Um caso de vírus A (H1N1) foi também detectado na penitenciária da Ilha Riker (noreste de Nova York), onde também foram adotadas precauções para evitar mais contágios.

"Atualmente, acompanhamos, especialmente, os enfermos afetados por outras patologias severas", disse o responsável pela saúde da cidade, Thomas Frieden, que acaba de ser nomeado pelo presidente Barack Obama diretor do Centro de Controle de Doenças (CDC) em nível nacional.

Um pediatra e epidemiologista, Thomas Farley, substituirá Frieden em Nova York como encarregado da Saúde, disse Bloomberg.

O CDC registrou nesta segunda-feira 400 novos casos de contágio por gripe suína, o que eleva a mais de 5.000 as pessoas contaminadas pelo vírus A (H1N1) nos Estados Unidos.

mes/ltl/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG