Gripe suína pode afetar 40% da população da UE, diz especialista

Luxemburgo, 30 abr (EFE).- O Centro de Prevenção e Controle das Doenças da União Europeia (ECDC, em inglês) considera que a percentagem da população europeia que pode ter gripe suína está provavelmente entre 40% e 50%, mas a maioria a sofreria de forma moderada, disse hoje um de seus especialistas, Angus Nicoll.

EFE |

"Poucos sofreriam a gripe suína de forma severa, previsivelmente os idosos e os que sofrem de doenças crônicas", explicou Nicoll em entrevista coletiva transmitida da sede do ECDC, em Estocolmo.

A gripe tradicional provoca anualmente cerca de 40 mil mortes ao ano na União Europeia (UE), destacou o especialista.

O Executivo da UE afirmou que a situação no bloco é "muito diferente da do México", e quis transmitir uma mensagem de tranquilidade à população, segundo disse hoje a porta-voz de Saúde do órgão, Nina Papadoulaki.

"Os casos confirmados na UE são moderados. Portanto, não há motivo para pânico", assinalou a porta-voz.

Segundo os últimos dados do ECDC, são cinco os Estados-membros da UE com casos confirmados de gripe suína: Espanha, Alemanha, Áustria, Holanda e Reino Unido. A França apresenta dezenas de ocorrências suspeitas.

Quanto à propagação aparentemente mais rápida do novo vírus no hemisfério sul, Nicoll comentou que tal circunstância "pode estar motivada pelo fato de ser inverno" na região.

Para o especialista, a gripe suína "pode se propagar na Europa durante o próximo inverno", mas acrescentou que, até agora, "não é possível ter nenhuma certeza" neste aspecto.

"É possível que a pandemia vá piorar com o tempo. Por isso, é preciso estar preparado para avaliar o verdadeiro alcance da crise sanitária", alertou Nicoll. EFE ahg/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG