Juan David Leal. México, 4 mai (EFE).- O Governo mexicano se mostrou hoje otimista pelo fato de o vírus da gripe suína ter perdido força no México e, por isso, as autoridades da capital do país se preparam para retomar as atividades normais na cidade, embora com algumas limitações.

Em entrevista coletiva, o secretário de Saúde mexicano, José Ángel Córdova, disse estar "otimista" porque a "tendência de queda" no ritmo de aparição de casos continua.

Desde o dia 23 de abril, foram analisados 2.164 casos suspeitos de gripe suína, com 727 confirmados, incluindo aí as 26 pessoas que foram vítimas fatais da doença.

O secretário declarou que as dependências do Estado que deixaram de trabalhar no último dia 1º "provavelmente" retomarão suas atividades na quarta-feira.

Quanto à suspensão das aulas, que mantém em casa quase 33 milhões de estudantes em todo o México, Córdova assegurou que as atividades em escolas e universidades terão que ser reiniciadas de forma "progressiva", embora o Governo não tenha tomado uma decisão oficial sobre o assunto.

A secretaria de Trabalho mexicana disse que vai punir empresas e estabelecimentos que não acataram a ordem de interrupção das atividades entre os dias 1º e 5 de maio para atividades não estratégicas.

As autoridades da Cidade do México, por sua vez, afirmaram que a metrópole completa quatro dias sem registrar mortes suspeitas de gripe suína e que o número de casos de pacientes com sintomas similares aos da doença diminuiu para 12 entre sábado e domingo, quando na semana passada chegou a mais de 350 em um só dia.

Diante destes números, o Distrito Federal mexicano anunciou que, a partir da quarta-feira, os mais de 35 mil restaurantes locais poderão reabrir suas portas.

No entanto, a suspensão de atividades se mantém para bares, discotecas, casas noturnas, estádios, salões de baile e de festas, cinemas, teatros e auditórios, entre outros locais.

O prefeito da capital mexicana, Marcelo Ebrard, apresentou também um sistema permanente para emergências de saúde na cidade composto por cinco níveis de emergência: baixo (verde), médio (amarelo), elevado (laranja), alto (vermelho), e muito alto (definido pela cor vermelha com o símbolo de soma "+").

Ebrard reduziu o alerta de alto para elevada.

Na Cidade do México, a metrópole mais afetada pelo foco de gripe suína, foram tomadas as medidas de controle mais severas frente à epidemia, como o fechamento de estabelecimentos comerciais, culturais e esportivos.

Segundo a Câmara Nacional de Restaurantes e Alimentos Condimentados mexicana (Canirac), os restaurantes da Cidade do México perderam 1,2 bilhão de pesos (cerca de US$ 87 milhões) desde 29 de abril, quando os estabelecimentos passaram a só poder vender comida para viagem.

Também na quarta-feira, serão retomados os trabalhos nos organismos de Justiça da capital e de outras Prefeituras.

No entanto, as autoridades da Cidade do México pediram aos cidadãos para que não estejam acompanhados no momento de realizar seus trâmites e impedirão as pessoas de permanecer em corredores ou em salas de espera de repartições públicas para evitar aglomerações.

A Prefeitura local instalará módulos de informação nos edifícios públicos e realizará trabalhos de desinfecção permanente nos imóveis da administração local e sistemas de transporte.

Museus, bibliotecas, centros de convenções e centros religiosos serão reabertos a partir do dia 7 na capital mexicana.

Segundo Ebrard, os cidadãos devem continuar utilizando máscaras e cumprir recomendações como lavar as mãos.

"A retomada das atividades vai ser em etapas e não de imediato", disse. EFE jd/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.