Gripe suína paralisa México é já atinge 15 países

O México, principal foco da gripe suína, vivia nesta sexta-feira um 1º de maio sob o impacto da doença que se propagou para quinze países em uma semana, aumentando os temores da OMS de uma pandemia iminente.

AFP |

Um primeiro caso de contaminação pelo vírus da gripe A-H1N1 (gripe suína) foi registrado nesta sexta-feira na Ásia, em Hong Kong, onde o exame feito em um mexicano apresentou resultado positivo.

Um caso também foi registrado na Dinamarca, onde uma cidadã desse país, que retornara de Nova York, contraiu a doença.

A França anunciou dois casos de gripe suína "confirmados", dois pacientes hospitalizados em Paris, procedentes do México.

A epidemia já deixou 16 mortos oficialmente: 15 no México e um nos Estados Unidos.

No México, onde há 343 pacientes com a gripe, o ministro da Saúde, José Angel Cordova, considerou que, "felizmente, o vírus não é tão agressivo" se as vítimas forem tratadas a partir do primeiro dia. O governo estima ainda que 84 mortes estejam "provavelmente" relacionadas à gripe suína.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) registra, por sua vez, 331 casos de gripe suína no mundo, dos quais 109 nos Estados Unidos (um morto) e 156 no México (9 mortos).

Quinze países foram afetados pela gripe suína, denominada oficialmente pela OMS "gripe A-H1N1", quatro no continente americano, oito na Europa, um no Oriente Médio, um na Ásia e um na Oceania.

O número de casos confirmados aumentou também nos Estados Unidos (143 em 20 estados), onde um bebê mexicano morreu, no Canadá (51) e na Grã-Bretanha (11).

Outros países apresentaram seus primeiros casos: Espanha, Holanda, Suíça, Áustria, Alemanha, Dinamarca, Israel, Costa Rica, Nova Zelândia e China (Hong Kong).

Dois casos em particular, um na Grã-Bretanha e um na Alemanha, suscitam maiores preocupações em relação à transmissão do vírus, já que as pessoas infectadas não tinham viajado para o México.

Os Estados Unidos anunciaram a compra de 13 milhões de medicamentos antivirais para recompor os estoques estratégicos e distribuir 400.000 doses no México.

O presidente americano, Barack Obama, se disse "otimista" hoje quanto à eficácia da resposta americana à gripe suína. "De uma maneira geral, estou muito contente com os progressos que obtivemos", declarou ao final de uma reunião do Conselho de Ministros sobre a doença.

Vários países, - principalmente, França, África do Sul, Colômbia, Austrália, Irlanda, Polônia e Brasil - verificam dezenas de casos suspeitos, geralmente pessoas que retornaram de viagens ao México ou aos Estados Unidos.

sym/dm/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG