Gripe suína muda drasticamente rotina de empresas no México

México, 29 abr (EFE).- A maioria das empresas no México suspendeu suas reuniões internas, outras permitem que seus empregados trabalhem de casa e algumas, inclusive, pararam totalmente as atividades de escritório para enfrentar a gripe suína.

EFE |

As informações são reveladas hoje por uma pesquisa da empresa de consultoria em recursos humanos local Mercer.

A pesquisa, aplicada junto a 25 das mais importantes empresas do México, principalmente nos setores de bens de consumo e farmacêutico, revelou que 82% dessas organizações suspenderam as reuniões internas.

As empresas solicitam a seus empregados "que realizem suas reuniões por telefone, pela internet ou em locais abertos", e a maioria suspendeu os encontros com clientes e fornecedores, como destaca a pesquisa.

Em comunicado, a empresa de consultoria indica também que 11% das empresas indagadas suspenderam totalmente os trabalhos de escritório.

Todas as medidas foram adotadas pelas direções de recursos humanos das empresas no México para "proteger seus empregados, reduzir os riscos de contágio e minimizar o impacto econômico da crise em sua capacidade produtiva", destacou a Mercer.

Das companhias, 52% permitiram que todo funcionário que apresente sintomas da gripe suína voltem para casa.

Além disso, 41% estão permitindo o trabalho de casa nos casos em que for possível e sob prévio acordo dos chefes imediatos.

As mulheres grávidas ou em fase de lactação estão obrigadas a trabalhar de forma esporádica até novo aviso, como foi ordenado ontem pela Secretaria de Trabalho do México.

Seguindo as indicações das autoridades, 70% das empresas entregaram máscaras a seus empregados.

Fora isso, 58% aumentaram os trabalhos de limpeza nos escritórios, dando ênfase na higiene de telefones, teclados de computador e mobília.

Para evitar as aglomerações próprias dos horários de pico no transporte público, em elevadores e na hora do almoço, algumas empresas mexicanas flexibilizaram seus horários.

Segundo o estudo da Mercer, como medida preventiva em muitos refeitórios de empresas utensílios comuns foram cobertos e trocados por pratos e talheres descartáveis, e em algumas companhias foi mudado o esquema de refeição.

Das empresas, 29% eliminaram as viagens internacionais e estão limitando o máximo possível o movimento de funcionários entre os diferentes escritórios da empresa.

De acordo com os últimos dados, no México foram confirmadas sete mortes por gripe suína, embora a doença possa ter matado ainda 152 pessoas. EFE jd/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG