Por Noel Randewich e Armando Tovar CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Uma variedade letal de gripe suína nunca antes vista vem atingindo o México, onde já provocou pelo menos 16 mortes e suscita o temor de que esteja se espalhando pela América do Norte.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse que está preocupada com o que chamou de 800 casos "semelhantes a gripe" no México e também com um surto confirmado de uma nova variedade de gripe suína nos Estados Unidos.

A entidade anunciou na sexta-feira que convocará um encontro de emergência para discutir o assunto.

Foram canceladas as aulas de milhões de alunos na capital mexicana, Cidade do México, e áreas vizinhas na sexta-feira, depois de as autoridades terem observado um número de mortes acima do normal nas últimas semanas por doenças semelhantes à gripe.

"É um vírus suíno que sofreu uma mutação e em algum momento foi transmitido a humanos", disse à rede Televisa o ministro da Saúde mexicano, José Angel Cordova.

Cordova vinculou a doença no México a um novo tipo de gripe suína que já atingiu sete pessoas na Califórnia e no Texas.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) disse que o vírus que se manifestou nos Estados Unidos é um misto nunca antes visto de vírus típicos de suínos, aves e humanos. Os sete pacientes norte-americanos se recuperaram.

Uma autoridade do governo dos EUA disse que a Casa Branca está acompanhando de perto o aparecimento da gripe suína e que o presidente Barack Obama já foi informado.

O governo mexicano recomendou à população evitar beijos e apertos de mão e também evitar compartilhar alimentos, copos e talheres, para não facilitar a transmissão da gripe.

A Cidade do México, que tem cerca de 20 milhões de habitantes e é uma das maiores do mundo, esteve mais calma que o normal na manhã de sexta-feira. Na ausência de ônibus escolares nas ruas e de pais levando seus filhos à escola de carro, o trânsito normalmente pesado estava menos caótico que o normal.

Muitas pessoas que aguardavam para entrar nas estações de metrô usavam máscaras cirúrgicas protegendo seus rostos.

O vírus é um vírus de gripe A designado como H1N1. Ele contém DNA típico de vírus aviários, suínos e humanos, incluindo elementos dos vírus suínos europeus e asiáticos, disse o CDC.

A OMS disse que cerca de 60 pessoas já morreram da doença no México. O organismo da ONU sediado em Genebra disse que está em contato diário com as autoridades norte-americanas, canadenses e mexicanas e que ativou seu Centro de Operações de Saúde Estratégicas (SHOC), seu centro de comando e controle usado em eventos agudos de saúde pública.

A vigilância e o escrutínio da gripe vêm sendo intensificadas desde 2003, quando a gripe aviária H5N1 reapareceu na Ásia. Especialistas temem que essa ou outras variedades possam desencadear uma pandemia que poderia provocar milhões de mortes.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.