Gripe suína mortal atinge o México e pode se espalhar

Por Noel Randewich e Armando Tovar CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - Uma variedade letal de gripe suína nunca antes vista vem atingindo o México, onde já provocou pelo menos 16 mortes e suscita o temor de que esteja se espalhando pela América do Norte.

Reuters |

A Organização Mundial de Saúde (OMS) disse que está preocupada com o que chamou de 800 casos "semelhantes a gripe" no México e também com um surto confirmado de uma nova variedade de gripe suína nos Estados Unidos.

A entidade anunciou na sexta-feira que convocará um encontro de emergência para discutir o assunto.

Foram canceladas as aulas de milhões de alunos na capital mexicana, Cidade do México, e áreas vizinhas na sexta-feira, depois de as autoridades terem observado um número de mortes acima do normal nas últimas semanas por doenças semelhantes à gripe.

"É um vírus suíno que sofreu uma mutação e em algum momento foi transmitido a humanos", disse à rede Televisa o ministro da Saúde mexicano, José Angel Cordova.

Cordova vinculou a doença no México a um novo tipo de gripe suína que já atingiu sete pessoas na Califórnia e no Texas.

O Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC) disse que o vírus que se manifestou nos Estados Unidos é um misto nunca antes visto de vírus típicos de suínos, aves e humanos. Os sete pacientes norte-americanos se recuperaram.

Uma autoridade do governo dos EUA disse que a Casa Branca está acompanhando de perto o aparecimento da gripe suína e que o presidente Barack Obama já foi informado.

O governo mexicano recomendou à população evitar beijos e apertos de mão e também evitar compartilhar alimentos, copos e talheres, para não facilitar a transmissão da gripe.

A Cidade do México, que tem cerca de 20 milhões de habitantes e é uma das maiores do mundo, esteve mais calma que o normal na manhã de sexta-feira. Na ausência de ônibus escolares nas ruas e de pais levando seus filhos à escola de carro, o trânsito normalmente pesado estava menos caótico que o normal.

Muitas pessoas que aguardavam para entrar nas estações de metrô usavam máscaras cirúrgicas protegendo seus rostos.

O vírus é um vírus de gripe A designado como H1N1. Ele contém DNA típico de vírus aviários, suínos e humanos, incluindo elementos dos vírus suínos europeus e asiáticos, disse o CDC.

A OMS disse que cerca de 60 pessoas já morreram da doença no México. O organismo da ONU sediado em Genebra disse que está em contato diário com as autoridades norte-americanas, canadenses e mexicanas e que ativou seu Centro de Operações de Saúde Estratégicas (SHOC), seu centro de comando e controle usado em eventos agudos de saúde pública.

A vigilância e o escrutínio da gripe vêm sendo intensificadas desde 2003, quando a gripe aviária H5N1 reapareceu na Ásia. Especialistas temem que essa ou outras variedades possam desencadear uma pandemia que poderia provocar milhões de mortes.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG