Gripe suína mata 149 no México e chega à Europa

A gripe suína, que pode ter matado 149 pessoas no México, chegou a Europa nesta segunda-feira, com a confirmação de casos na Espanha e na Grã-Bretanha, enquanto o mundo adota medidas para evitar uma pandemia.

AFP |

A situação se agravou hoje no México, centro da epidemia, onde o número de óbitos chega a 149, incluindo vários casos "ainda não confirmados", revelou o ministro da Saúde, José Ángel Cordova.

Segundo o governo, do total de 1.995 pessoas internadas com suspeita de gripe suína, 776 permanecem hospitalizadas.

"Estamos no auge da epidemia e o número (de casos) seguirá crescendo", estimou o ministro.

Entre as medidas de prevenção, as autoridades suspenderam as aulas em todo o país até o dia 6 de maio.

Depois do México, o país mais afetado pela epidemia são os Estados Unidos, onde no domingo foi declarado o estado de emergência sanitária.

As autoridades americanas confirmaram 40 casos de gripe suína em cinco Estados, explicando que este aumento não se deve a uma propagação da doença, mas a um melhor diagnóstico de seus sintomas.

O prefeito de Nova York, Michael Bloomberg, informou hoje que 28 alunos de uma escola Nova York foram contaminados.

Os Estados Unidos vão distribuir 11 milhões de tratamentos antivirais contra a gripe suína, procedentes das reservas federais de medicamentos, informaram as autoridades sanitárias.

"Liberaremos 25% das reservas (destes medicamentos) aos Estados", explicou o diretor em exercício do Centro de Controle das Enfermidades (CDC), Richard Besser, em entrevista à imprensa.

Estes medicamentos estão "a caminho dos Estados mais afetados - Califórnia, Nova York e Texas, e de alguns outros", disse Besser.

O diretor do CDC advertiu que a população deve se "preparar para a ocorrência de casos mais graves (de gripe suína) nos EUA, incluindo óbitos".

Até o momento, a atual epidemia de gripe suína não matou ninguém nos Estados Unidos ou no Canadá, onde há seis casos confirmados.

O presidente americano, Barack Obama, pediu à população que mantenha a calma, destacando que a epidemia é "motivo de preocupação", mas não de alarme.

Os três primeros casos confirmados de gripe suína na Europa, em pessoas que visitaram o México, foram detectados hoje na Grã-Bretanha e na Espanha.

Outros 20 casos suspeitos estão sendo analisados na Espanha e 15, na Grã-Bretanha, além de pacientes sob observação no Brasil, Itália, Bélgica, Suíça, Dinamarca, Suécia, Nova Zelândia, Israel, Peru e Colômbia.

Em Nova York, o secretário-geral das Nações Unidas, Ban Ki-moon, advertiu para uma nova pandemia: "Estamos preocupados que o vírus possa causar uma nova pandemia de gripe. Não sabemos ainda em que direção irá, mas nos preocupa saber que, no México, a maioria dos que morreram era de adultos jovens e saudáveis".

bur-sd/LR

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG