Gripe suína infectou 5.764 pessoas nos Estados Unidos

A epidemia de gripe suína nos Estados Unidos está longe do fim, com 5.764 casos confirmados ou prováveis, nove deles mortais, anunciaram nesta quinta-feira as autoridades sanitárias, que observaram que os idosos são mais resistentes ao vírus.

AFP |

"A epidemia de H1N1 nos Estados Unidos está longe do fim. O vírus continua circulando, mas está declinando em algumas regiões e crescendo em outras", declarou Anne Schuchar, diretora adjunta para a saúde pública no Centro de Controle e de Prevenção das Doenças (CDC), durante uma entrevista coletiva.

"Haverá outros casos, internações, e provavelmente mortes", avisou, destacando que o número registrado de 5.764 casos "pode ser na verdade 20 vezes inferior à realidade". Ela observou, porém, que a procura por atendimento médico para tratar sintomas de gripe diminuiu, o que considerou "um bom sinal".

A análise dos casos registrados mostra que 64% dos doentes nos Estados Unidos têm entre cinco e 24 anos, e apenas 1% têm mais de 65 anos. "É possível que as pessoas mais velhas tenham algum tipo de proteção" contra o vírus H1N1, adiantou o CDC.

"Existe a possibilidade de que os adultos mais velhos tenham estado em contato, há muito tempo, nos anos 30, 40 e 50, com um vírus parecido com o novo H1N1", explicou Schuchat.

A funcionária do CDC também avisou que será preciso esperar vários meses antes que uma vacina esteja disponível, e frisou que a vacina atual contra a gripe "não protege contra o vírus H1N1".

vmt/yw/sd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG