Gripe suína assusta economia mexicana e pode agravar recessão

México, 27 abr (EFE).- A extensão da febre suína no México levou incerteza aos mercados financeiros do país, onde a moeda local, o peso, fechou o pregão com uma queda de 5% e a bolsa caiu em 3,34%, e pode agravar a recessão do país, que este ano deve chegar a 3% de seu produto interno bruto.

EFE |

Carlos Tabares, analista do Grupo Financeiro Ixe, explicou à Agência Efe que os temores sobre o impacto da gripe suína em diversos setores afetaram as bolsas de todo o mundo.

"Esta reação reflete a aversão ao risco dos investidores que se refletiu em um impacto na taxa de câmbio e na queda de diversos setores da bolsa, como o turismo e a indústria do entretenimento", indicou Tabares.

Ele ressaltou que as maiores quedas foram dos grupos aeroportuários devido a uma possível redução do fluxo de passageiros nacional e internacional.

O analista sustentou que, caso não se consiga reduzir o número de infectados e mortos, que já somam 149 mortos possivelmente pela gripe suína -20 confirmados-, as autoridades dos diferentes países podem tomar medidas mais drásticas, como a redução das rotas aéreas para o México.

Por sua vez, a agência de classificação de riscos americana Standard & Poor's (S&P) disse hoje que as preocupações em torno do surto não têm um impacto imediato sobre as empresas, instituições financeiras e outras instituições do México".

Segundo a S&P, isso pode acontecer caso a epidemia se prolongue, o que poderia levar um risco adicional à contração da atividade econômica do México em 2009.

A agência lembrou que, segundo suas projeções, o Produto Interno Bruto do México cairá "pelo menos 3% este ano". EFE jrm/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG