Gripe se espalha por centro e leste europeus com 350 casos

Viena, 15 jul (EFE).- O vírus da gripe suína começa a se espalhar pelos países do centro e do leste da Europa, onde 350 casos foram registrados até agora, mas nenhuma vítima fatal.

EFE |

Os países com maior número de infectado são, por enquanto, a Romênia e a Sérvia, onde um total de 100 pessoas contraiu o novo vírus.

Segundo o Ministério da Saúde Pública da Romênia, o número de casos de infectados já chega a 55.

Destes, somente nove continuam internados, mas nenhum deles em estado grave, informaram hoje fontes do Ministério à Agência Efe, em Bucareste.

Na Sérvia, 54 casos de infectados foram confirmados até agora.

Desse número, 39 vieram do exterior e 15 foram contagiados por contatos com outros doentes.

Entre os infectados, estão seis esportistas da Universidade de Belgrado e 12 pessoas que foram a um festival de música na cidade de Novi Sad, no norte do país.

Todos os infectados e os que tiveram contato com eles estão sob permanente supervisão sanitária.

No resto dos países da região, o número de infectados é de nove na Macedônia e 38 na Áustria, segundo os dados mais recentes divulgados pelos ministérios de Saúde dos países.

Na Hungria, 26 infectados foram detectados, na Croácia, 14, na Bósnia, 3, em Montenegro, 11, na Eslovênia e Eslováquia, 21 e na Bulgária, 16.

Na República Tcheca, 400 casos suspeitos estão sendo analisados, dos quais apenas 20 foram confirmados.

Na maior parte dos casos, os infectados no centro e sudeste europeus se contagiaram nos Estados Unidos, embora também haja alguns casos de contágios locais.

Na Eslováquia, os tenistas Filip Polasek e Michal Mertinak foram contagiados durante o torneio de Wimbledon, onde ficaram em quarentena.

Na Turquia, o número de infecções chegou a 95 nesta semana, informou o Ministério da Saúde do país.

Nas últimas duas semanas, as infecções se duplicaram, mas em nenhum dos casos os pacientes tiveram maiores complicações.

O Ministério da Saúde turco aumentou suas medidas de segurança nos aeroportos e portos para detectar os infectados o mais rápido possível.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE vn/pd

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG