Santiago do Chile, 2 jul (EFE).- O número de vítimas fatais por causa da gripe suína no Chile aumentou para 16 hoje, depois de o Instituto de Saúde Pública do país confirmar a morte de uma mulher de 38 anos.

A vítima, cuja identidade ainda não foi revelada, foi internada no último final de semana em um hospital da cidade de Valparaíso, a 120 quilômetros de Santiago, e faleceu na madrugada de terça-feira.

A situação no Chile é de alarme nacional, com 16 mortos, 7.342 casos confirmados e 183 pacientes em estado grave por causa da gripe.

Segundo números oficiais, 79,3% dos casos confirmados estão recuperados e 17,2% recebem tratamento em casa.

As crianças e jovens em idade escolar (entre 5 e 19 anos) são os mais afetados pela doença, concentrando 61% do total de contágios.

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, assegurou na segunda-feira que a gripe é "a pior epidemia enfrentada pelo país nos últimos 52 anos".

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE ls/bba

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.