Gripe leva Continental e United a reduzir voos para o México

ATLANTA/NOVA YORK (Reuters) - A United Airlines anunciou na sexta-feira a decisão de restringir seus serviços para o México devido aos temores despertados pela gripe H1N1. É a segunda grande companhia aérea dos EUA a tomar essa decisão. A partir de segunda-feira, a empresa, com sede em Chicago, deve reduzir em 60 por cento suas operações para o país vizinho, mantendo apenas 24 voos semanais. Para junho, a expectativa é de uma redução de 90 para 52 voos semanais.

Reuters |

"Estamos reagindo rapidamente, ajustando nossa agenda para acompanhar o interesse do cliente", disse John Tague, executivo da United, em nota.

Na sexta-feira a Continental Airlines já havia anunciado a redução temporária de seus voos para o México, citando a redução da demanda devido à gripe.

Em nota, a empresa disse que reduziria em cerca de 50 por cento a sua capacidade para o México, país que já registrou até 176 mortes por causa da doença, antes chamada de "gripe suína".

As mudanças valem a partir de segunda-feira. A Continental acrescentou que vai reduzir suas partidas em 40 por cento. A empresa disse que a diminuição representa cerca de 2 por cento da sua capacidade total para maio, em comparação com a programação original.

Segundo a nota, a United tem menos de 2 por cento da sua capacidade consolidada dedicada ao México.

A Air Canada também decidiu suspender temporariamente suas operações para balneários populares, como Cancún e Puerto Vallarta, e a espanhola Air Europa vai cancelar voos fretados.

A alemã Lufthansa anunciou planos contingenciais para reduzir voos e alterar rotas devido à doença, e decidiu colocar médicos a bordo dos aviões que servem o México, na esperança de detectar precocemente eventuais casos.

A IATA, entidade que reúne empresas aéreas, alertou nesta semana que a epidemia poderia agravar os problemas financeiros das companhias, já afetadas pela recessão global.

A Continental, que nesta semana havia notado uma redução significativa nas viagens para o México, disse que está usando aviões menores ou reduzindo a frequência dos voos para certas cidades mexicanas. A Continental disse que, antes das reduções, mantinha uma média de 450 voos para o país.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG