Santiago do Chile, 31 jul (EFE).- O número de mortos no Chile por causa da gripe suína chegou a 96 e o de casos a 11.

860, dos quais 1.022 requererão hospitalização por causa de sua gravidade, segundo um relatório divulgado hoje pelo Ministério de Saúde chileno.

Apesar dos números (atualizados no dia 28 de julho), segundo o texto a autoridade assinala que na última semana se observa uma tendência descendente no número de casos, salvo nas regiões de Atacama, La Araucanía e Aysén, nas quais se mantêm índices similares aos da semana anterior.

O relatório informa que desde que o vírus da gripe suína foi detectado no Chile, no dia 17 de maio, foram notificados no país 328.173 casos, dos quais 11.860 foram confirmados como positivos.

O estudo reflete também que ao se completar a 29ª semana da pandemia, o vírus H1N1 representa 89,2% do total de vírus circulantes no país.

O índice de mortos foi de 0,6 por cada cem mil habitantes, e o de hospitalização por critério de gravidade foi de seis por cada cem mil habitantes, com uma idade média de 31 anos nas mulheres e de 29 anos entre os homens.

Apesar do nome, a gripe suína não apresenta risco de infecção por ingestão de carne de porco e derivados. EFE ns/ma

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.