Gripe H1N1 pode causar convulsão em crianças, diz estudo

Por Julie Steenhuysen CHICAGO (Reuters) - Crianças que tenham convulsões inexplicáveis e sintomas de gripe devem ser submetidas a exames para o vírus H1N1 e receber tratamento contra a gripe, disseram autoridades dos EUA na quinta-feira.

Reuters |

Eles afirmaram que quatro crianças do condado de Dallas, no Texas, que contraíram o vírus da dita "gripe suína" no final de maio, tiveram convulsões e mudanças de estado mental causada por infecções e inchaço cerebral.

Algumas crianças sofreram de tonturas, fraqueza e desorientação, demorando a responder perguntas. Duas das quatro tiveram convulsões.

Todas se recuperaram e tiveram alta sem apresentar danos cerebrais remanescentes, segundo uma equipe do Centro Medical Southwestern, da Universidade do Texas, e autoridades sanitárias locais e federais.

"A infecção com o vírus influenza sazonal pode ser associada a complicações neurológicas, mas a frequência com que isso ocorre com o novo vírus influenza A (H1N1) é desconhecida", escreveram eles em um relatório semanal do Centro de Prevenção e Controle de Doenças dos EUA.

As infecções gripais respondem por cerca de 5 por cento dos casos de encefalite aguda infantil, uma doença que pode causar danos cerebrais e morte. Na temporada de gripe 2003-4 nos EUA, foram relatadas complicações neurológicas em 6 por cento das mortes relacionadas à gripe entre crianças.

Na maioria dos surtos de gripe, crianças de várias idades ficam sob risco. Mas o atual vírus H1N1, que tem provocado uma pandemia, parece mais propenso a afetar crianças mais velhas e adultos jovens.

Os casos descritos no CDC eram de menores de 7, 10, 11 e 17 anos. Dois não tinham doenças pregressas. Um havia tido uma convulsão provocada por febre no ano anterior; outro tinha histórico de asma. Todos se recuperaram.

Em editorial, o relatório sugere que "seja iniciado um tratamento antiviral assim que possível para qualquer paciente hospitalizado com sintomas neurológicos e suspeitos de influenza sazonal ou da nova influenza A (H1N1)".

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG