MADRI (Reuters) - O exército espanhol colocou em quarentena dezenas de soldados em uma academia militar de Madri, depois que 11 deles ficaram doentes sob suspeita de terem contraído o novo vírus da gripe, informou o Minstério da Saúde na sexta-feira. Seis dos 11 militares estão internados no Hospital Central da Defesa de Madri, em zonas especialmente acondicionadas, à espera de que o Instituto de Saúde Carlos 3o emita resultados de duas análises.

O vírus da gripe H1N1 infectou mais de 11 mil pessoas em todo o mundo e já matou 85 pessoas, nenhuma delas na Espanha.

"Há outros companheiros que estão isolados porque é o que recomendavam a todos os contatos de possíveis casos em estudo. É preciso aplicar o protocolo e (eles) têm que permanecer isolados à espera de que se confirme se é a gripe H1N1 ou não", disse um porta-voz do ministério.

"Há vários (isolados), dezenas, sim", acrescentou.

Segundo o Ministério da Defesa, os 11 casos em estudo são leves e evoluem favoravelmente com o tratamento.

Diversos meios de comunicação informaram que alguns estudantes visitaram a academia militar nesta semana, mas nenhum responsável da Saúde ou da Defesa confirmou esta versão.

Os médicos estão tentando determinar se algum dos militares esteve recentemente no México -- epicentro do surto -- ou manteve contato com alguém que tenha visitado aquele país, acrescentou o porta-voz.

O Ministério da Saúde espanhol elevou na sexta-feira para 107 o número de casos confirmados com o vírus H1N1 no país, quatro além do último número divulgado há uma semana. Todos os casos, exceto 30, são de pessoas que de pessoas que estiveram recentemente no México, segundo o ministério.

(Reportagem de Ben Harding)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.