Quase todas as linhas de metrô de Londres estavam paralisadas na manhã desta quarta-feira por um movimento de greve de 48 horas, informou o organismo encarregado de administrar os transportes da capital inglesa e de seus arredores.

De acordo com o site do Transport for London, que supervisiona a totalidade dos transportes de Londres, 5 das 11 linhas de metrô estavam totalmente paralisadas, e apenas uma funcionava normalmente.

As outras linhas estavam fortemente perturbadas, com importantes atrasos.

Milhares de funcionários do metrô lançaram terça-feira às 18H00 GMT (15H00 de Brasília) uma greve de 48 horas, depois do fracasso da última rodada de negociações entre o sindicato dos transportes marítimos e ferroviários (RMT) e o London Underground, que administra o metrô londrino.

A última paralisação no metrô convocada pelo RMT, que tem cerca de 10.000 membros entre os 13.400 funcionários do metrô, remontava a 2004. Várias linhas sofreram perturbações em 2007, em função de uma greve de 24 horas decidida pela empresa de manutenção Metronet.

As reivindicações envolvem salários, empregos e a suspensão de medidas disciplinares.

O prefeito de Londres, Boris Johnson, qualificou a greve de "inútil" e disse que ela causa sofrimento aos usuários.

O custo da paralisação para a economia londrina foi avaliado em 50 milhões de libras (57,89 milhões de euros).

O London Underground transporta mais de um bilhão de passageiros a cada ano.

elm/yw

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.