Greve geral em Guadalupe gera distúrbios e deixa um morto

Uma pessoa morreu e vários policiais ficaram feridos nesta quarta-feira, na ilha caribenha francesa de Guadalupe, onde uma greve geral, que já dura um mês, deu origem a violentos protestos contra a carestia enfrentada pela população.

AFP |

A vítima, um sindicalista de cerca de 50 anos, que voltava de um piquete da greve em seu carro, não foi atingido por uma bala perdida, como se pensou a princípio, afirmou nesta quarta-feira o procurador de Pointe-à-Pitre, Jean-Michel Prêtre.

Prêtre também excluiu a hipótese de que o sindicalista tenha morrido por disparos da polícia. No entanto, não desconsiderou que a vítima e o outro passageiro que estava no carro possam ter sido confundidos com policiais por gangues de jovens, que levantaram barricadas nas ruas da capital de Guadalupe.

O sindicalista é a primeira vítima fatal do conflito social que, desde o dia 20 de janeiro, paralisa a ilha e só piora dia após dia. A vizinha Martinica, outro território francês, também sofre com problemas semelhantes desde 5 de fevereiro.

O presidente francês, Nicolas Sarkozy, que ainda não havia se pronunciado sobre a situação nas Antilhas, confirmou nesta quarta-feira que receberá os deputados antilhanos na quinta, "para responder à angústia, à preocupação e a uma certa forma de desesperança de nossos compatriotas" destes territórios.

Horas antes, o primeiro-ministro francês, François Fillon, "condenou firmemente" os "atos de violência extremamente graves" em Guadalupe.

Depois de uma reunião com dirigentes das forças de segurança francesas em Paris, a ministra do Interior, Michèle Alliot-Marie, anunciou nesta quarta-feira o envio de 300 gendarmes para reforçar a ordem na ilha, onde chegarão já nas próximas horas.

A situação se deteriorou rapidamente em Guadalupe, com a segunda noite seguida de saques, incêndios e enfrentamentos entre jovens e policiais na terça-feira, que deixaram seis agentes feridos, atingidos por tiros.

Várias lojas foram saqueadas e barricadas foram erguidas com pneus em chamas nas ruas de Pointe-à-Pitre e nas estradas que circundam a capital.

Segundo a polícia, o balanço da noite de distúrbios é de 15 lojas saqueadas, sete incendiadas, 21 veículos queimados e 14 pessoas detidas, entre elas, três menores.

en-ben/ap

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG