Greve ameaça fornecimento de petróleo à Grã-Bretanha

Cerca de 1,2 mil funcionários da única refinaria de petróleo na Escócia iniciaram neste domingo uma greve de 48 horas que obrigou a empresa British Petroleum, a BP, a fechar o oleoduto por onde passa 30% da produção diária de petróleo no Mar do Norte. Os funcionários protestam contra mudanças no sistema de aposentadorias da refinaria Grangemouth.

BBC Brasil |

A greve resultou na primeira paralisação de uma refinaria britânica em mais de 70 anos.

Por conta do fechamento do oleoduto, alguns postos de gasolina disseram estar ficando sem combustível na Escócia, enquanto outros introduziram racionamento ou aumentaram os preços. Suprimentos extras estão sendo enviados da Europa continental.

Mas autoridades dizem que não esperam desabastecimento, porque a chegada da primavera já reduziu a demanda por combustível.

Segundo o principal órgão da indústria, Oil and Gas UK, a greve de dois dias poderá custar ao Reino Unido 100 milhões de libras (cerca de R$ 330 milhões) no total.

Disputa
Gordon Grant, diretor geral da Ineos, empresa que administra a refinaria, disse à BBC que a atual contribuição da empresa para a aposentadoria dos funcionários é "insustentável", afirmando que a Grangemouth precisa de investimentos da ordem de 750 milhões de libras (cerca de R$ 2,5 bilhões), ou empregos estariam ameaçados.

Grant lamentou a decisão do sindicato de levar a paralisação adiante, mas Pat Rafferty, porta-voz do sindicato Unite, disse à BBC que seus membros ainda querem conversar com a administração.

Ele também descartou que a refinaria precise de três semanas para recuperar o ritmo de produção, afirmando que isso seria feito em uma semana.

Tanto a Ineos quanto os líderes sindicais concordam que este foi um "dia triste" para Grangemouth, mas continuam a se criticar mutuamente sobre vários aspectos da disputa.

O chefe do governo da Escócia, o primeiro-ministro Alex Salmond, pediu aos dois lados que negociem e cheguem a um acordo, depois que as discussões foram interrompidas.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG