Greenpeace pede que incêndios na Austrália sirvam de alerta

Sydney (Austrália), 10 fev (EFE).- Os incêndios no estado australiano de Victoria, que já mataram 173 pessoas, são uma advertência sobre o que representa a mudança climática, afirmou hoje o Greenpeace.

EFE |

"A tragédia desta semana mostra que o clima na Austrália mudou e agora sabemos o quanto podemos perder caso não cheguemos a um acordo de ação sobre o clima mundial", disse o porta-voz da organização Trish Harrup.

A organização ressaltou que vários cientistas reiteraram que os incêndios surgidos no sábado, quando a região sul da Austrália estava há duas semanas imersa em uma intensa onda de calor, são resultado da mudança climática.

Harrup disse ser necessário que o Governo da Austrália reduza a as emissões de gases poluentes em uma percentagem maior que o objetivo de 5% em relação aos níveis de 2000 que o primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, anunciou em dezembro passado.

A meta governamental é menos ambiciosa que o relatório encarregado pelo Governo ao professor Ross Garnaut.

O estudo recomendou um corte de 25% até 2020, o que os ecologistas qualificaram de insuficiente e que os empresários taxaram de absurdo.

David Karoly, um dos cientistas que trabalharam com Garnaut nesse relatório, explicou esta semana que a onda de calor vivida este ano na Austrália não têm precedentes e não pode estar inserida dentro da chamada "variabilidade natural".

"A magnitude da catástrofe, junto com as graves inundações que Queensland (estado no nordeste da Austrália) sofreu, deve ser uma chamada de atenção aos políticos sobre a necessidade de começar a tratar a mudança climática como uma emergência nacional" concluiu o Greenpeace. EFE mg/rr

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG