Grécia registra terceiro dia de distúrbios

ATENAS - A Grécia vive o terceiro dia de graves distúrbios após a morte de um adolescente por causo do disparo de um policial. Nesta segunda-feira, os principais enfrentamentos aconteceram na cidade de Salônica.

Redação com agências internacionais |

Cerca de 300 manifestantes de esquerda lançaram artefatos incendiários contra as forças policiais, que reagiram com gás lacrimogêneo.

Enquanto isso, no porto de Pireu, perto de Atenas, aconteceu uma manifestação de estudantes inicialmente pacífica, mas que também acabou em confrontos entre a polícia e grupos de radicais encapuzados que tinham se infiltrado no protesto.

Nas duas cidades, os elementos radicais destruíram vitrines, carros e lojas, informou a polícia grega.


Policiais e manifestantes se enfrentam en Atenas / AP

Grande manifestação

Foi convocada para esta tarde uma grande manifestação do Partido Comunista da Grécia para repudiar a violência policial, que custou a vida de Alexander Grigoropulos, de 16 anos, no sábado passado.

A morte de adolescente, que segundo as primeiras informações médicas, foi devido a pelo menos um tiro no coração, gerou a onda de distúrbios mais grave dos últimos 25 anos no país.

Todos os colégios da Grécia fecharam hoje e farão o mesmo amanhã, em sinal de luto. Milhares de alunos de entre 10 e 16 anos da região da capital marcharam para as avenidas principais, bloqueando o trânsito por alguns minutos, em protesto contra a morte de Grigoropulos.

Renúncia

Horas antes dos confrontos, o ministro do Interior da Grécia, Prokopis Pavlopoulos, pediu moderação aos manifestantes e disse lamentar a morte do adolescente.

"Todos têm direito de se manifestar e lutar por seus direitos. Mas, sem destruir a propriedade alheia, sem lançar ataques contra pessoas que não têm nenhuma culpa".

Tanto Pavlopoulos como o vice-ministro do Interior, Panagiotis Chinofotis, pediram renúncia após os protestos, mas elas não foram aceitas pelo primeiro-ministro Costas Karamanlis. O premiê também pediu publicamente desculpas ao pais do adolescente morto.

"Eu sei que nada pode aliviar sua dor, mas eu garanto que o Estado vai agir para que a tragédia do último sábado não se repita", disse. Dois policiais foram suspensos e um inquérito já foi aberto.

Leia mais sobre Grécia

    Leia tudo sobre: grécia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG