Grécia não cede na questão do nome da Macedônia para ingressar na Otan

Atenas, 2 abr (EFE).- A ministra de Relações Exteriores da Grécia, Dora Bakoyannis, declarou hoje que não há tempo para uma nova proposta que solucione o conflito envolvendo o nome da Macedônia, ante o qual a Grécia vetará o convite a este país para se integrar à Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan).

EFE |

"Não acho que haja tempo (para uma nova proposta por parte da ONU) e dissemos que não haverá convite sem solução" (para a Macedônia), declarou Bakoyannis após se reunir hoje em Atenas com o primeiro-ministro grego, Costas Caramanlis, antes de partirem em direção à cúpula da Aliança Atlântica em Bucareste.

Bakoyannis afirmou que não tem informação sobre uma reunião direta entre Caramanlis e o presidente americano, George W. Bush, fora da cúpula em Bucareste.

"As posturas da Grécia são claras. Por conseqüência, as nossas não coincidem com as de outros países", acrescentou, em alusão ao desejo apresentado por Bush hoje em Bucareste de avançar na ampliação com a integração na aliança militar de Albânia, Croácia e da Macedônia.

A decisão de convidar novos países para integrarem a Aliança requer unanimidade entre os membros permanentes.

A Grécia declarou que não aceitará a entrada da Macedônia sem ter solucionado o problema do nome oficial da ex-república iugoslava, que provisoriamente se chama Antiga República Iugoslava da Macedônia.

Após 15 anos de negociações a Grécia está disposta a aceitar um único nome composto no qual figure a palavra Macedônia, como definição geográfica, para seu uso em todas as entidades internacionais.

No entanto, os gregos se opõem ao uso exclusivo da Macedônia por este país criado em 1991, pois têm 51% do território que historicamente carrega este nome, segundo fontes diplomáticas em Atenas, o que poderia levar a reivindicações territoriais de Skopje.

EFE afb/ev/fal

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG