Grávida pede ajuda a soldados e acaba morta a tiros no México

México, 12 dez (EFE).- Uma mulher grávida morreu de dois tiros, supostamente disparados por soldados, quando se dirigia a um posto de vigilância militar na cidade de Aldama, no estado de Chihuahua, norte do México, para pedir ajuda informou nesta sexta-feira a procuradoria estadual.

EFE |

Um porta-voz da Procuradoria de Justiça do Estado explicou que, segundo as primeiras versões, o veículo em que seguia a mulher acompanhada de sua mãe entrou no posto de vigilância militar e foi recebido a tiros.

O porta-voz explicou que Zaira Gabriela Arzate Contreras, de 22 anos, buscava o apoio dos militares para pedir que saíssem em auxílio de um primo, Israel Olivas Arzate, que estava ferido, após ser perseguido por bandidos e se tinha refugiado em um aeroporto próximo.

A Secretaria da Defesa (Sedena) admitiu em comunicado que os soldados abriram fogo contra o carro no qual viajavam as mulheres, mas alegou que o fato aconteceu depois de o posto de vigilância ter sofrido uma agressão por parte de desconhecidos que iam a bordo de dois veículos. EFE jrm/jp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG