Grã-Bretanha vai se desculpar por crianças enviadas às ex-colônias

O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, deve pedir desculpas pela participação do país no envio de milhares de crianças britânicas às ex-colônias no século passado. Sob o Programa de Migração de Crianças, que foi extinto há apenas 40 anos, crianças pobres foram enviadas para uma vida melhor em países como Austrália e Canadá.

BBC Brasil |

Mas há denúncias de que muitas sofreram abusos e acabaram sendo enviadas a orfanatos ou a fazendas, onde serviram como mão-de-obra na lavoura.

Segundo informações obtidas pela BBC, autoridades do governo estariam em contato com algumas vítimas para que o pedido de desculpas seja divulgado no Ano Novo.

Ao enviarem as crianças para fora do país, as autoridades mentiam que seus pais haviam morrido e que uma vida muito melhor as esperava.

Muitas famílias não sabiam que seus filhos, alguns com apenas 3 anos de idade, estavam sendo enviados ao exterior.

Agências de assistência social trabalhavam com o governo para dar um futuro melhor para crianças pobres nas ex-colônias e suprir estes países com "um bom estoque de gente branca".

Em muitos casos, no entanto, as crianças eram forçadas a trabalhar, tendo sofrido abusos físicos, psicológicos e sexuais.

Em uma carta ao diretor do Comitê de Saúde, órgão ligado ao Parlamento britânico que investigou as denúncias, o premiê Gordon Brown disse que "chegou a hora" de a Grã-Bretanha se desculpar pelos erros dos governos anteriores.

"É importante que dediquemos tempo a ouvir as vozes dos sobreviventes e vítimas de políticas equivocadas", disse o premiê.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro australiano, Kevin Rudd, vai pedir desculpas pelos maus tratos sofridos por cerca de sete mil imigrantes britânicos no país.

Hudd vai reconhecer o sofrimento de 500 mil crianças enviadas a orfanatos e a outras instituições de assistência social do país entre 1930 e 1970.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG