Grã-Bretanha testa câmera com GPS para flagrar excesso de velocidade

A Grã-Bretanha está testando um sistema que combina câmeras que identificam automaticamente placas de veículos com aparelhos GPS a fim de flagrar motoristas acima do limite de velocidade. O sistema, batizado de SpeedSpike, usa o GPS para acompanhar a posição dos veículos depois de as placas deles terem sido captadas pela câmera.

BBC Brasil |

Dessa forma, é possível calcular a média de velocidade dos veículos em trechos determinados.

Desenvolvida pela empresa PIPS Technology, a tecnologia poderia ser usada em ruas e estradas e perto de escolas e rotas residenciais usadas por motoristas apressados como "atalhos" para escapar de ruas principais movimentadas.

Segurança
O sistema foi usado experimentalmente na Cornualha, no sudoeste da Inglaterra, e os resultados já foram apresentados a uma comissão de transportes da Câmara dos Comuns do Parlamento britânico.

O Ministério do Interior não quis comentar as conclusões, mas a novidade foi aprovada por um representante de uma das principais empresas que prestam serviços a motoristas na Grã-Bretanha, a RAC.

"Temos visto muitas campanhas de segurança excelentes que vêm influenciando o estilo de direção de muitos motoristas em áreas urbanizadas, mas para mudar as atitudes dos poucos que ainda dirigem em velocidades impróprias, câmeras com a SpeedSpike podem ser úteis."
Paul Watters, representante da AA (Automobile Association), empresa britânica de seguros de veículos e aulas de direção, afirmou que os integrantes da organização apoiam a adoção do sistema, mas destacou que temem que ele possa ter impacto negativo nos tempos de viagem dos motoristas.

"Com novas tecnologias complexas vem o risco de erros, de forma que o governo precisa dar orientações claras sobre como estes sistemas devem ser usados", disse Watters.

A PIPS Technology criou o sistema de reconhecimento automático de placas que é usado na zona de pedágio urbano de Londres.

O equipamento ganhou um dos principais prêmios de inovação no país, o Queen's Award for Innovation, em 2005.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG