Grã-Bretanha suspende voos do Iemên e reforça segurança em aeroportos

O governo britânico anunciou nesta quarta-feira um pacote de medidas contra o terrorismo, após a tentativa de ataque em um voo entre Amsterdã e Detroit em 25 de dezembro. Entre as determinações está a suspensão de voos diretos de empresas do Iemên, país onde o autor do atentado, que tinha contatos na Al-Qaeda, disse ter recebido os explosivos.

iG São Paulo |

Em Londres, o governo britânico alegou que as mudanças são motivadas por razões de segurança. "Sabemos que um número de células terroristas está ativamente tentando atacar a Grã-Bretanha e outros países", afirmou.

A Grã-Bretanha informou à companhia Yemenia que seus aviões precisam pousar em um terceiro país para fazer verificações de segurança antes de se dirigirem a Londres.

O governo também vai adotar um sistema de vigilância similar ao dos Estados Unidos. Além de uma lista de vigilância "genérica" de terroristas, haverá outra, mais seletiva, dos que estão impedidos de voar. Além disso, a Grã-Bretanha vai passar a utilizar scanners corporais a partir da próxima semana.

Em 25 de dezembro, o nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab, de 23 anos, tentou explodir um avião que voava de Amsterdã a Detroit. Ele recebeu seis acusações na quarta-feira , incluindo tentativa de assassinato e de utilizar uma arma de destruição em massa para assassinar quase 300 pessoas. Se for considerado culpado, o jovem pode ser sentenciado à prisão perpétua.

Leia mais sobre terrorismo

    Leia tudo sobre: terrorismo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG