Grã-Bretanha quer prevenir formação de novos radicais

O governo britânico está atualizando sua estratégia de combate ao extremismo para concentrá-la mais na prevenção da radicalização de muçulmanos. A BBC apurou que as autoridades britânicas estão cada vez mais preocupadas com a ameaça de militantes solitários não-vinculados à rede extremista Al-Qaeda que radicalizaram suas idéias políticas sobre a militância islâmica.

BBC Brasil |

Uma das principais prioridades da estratégia do governo britânico será reduzir o recrutamento de militantes extremistas. O trabalho com comunidades locais e a atenção ao papel da internet serão chaves para a nova estratégia.

O grau de "ameaça terrorista" do governo britânico está no segundo nível mais alto, que alerta para risco "severo" de atentados.

Fontes do governo britânico dizem que a polícia e o serviço de segurança estão trabalhando quase em sua capacidade total e é pouco provável que o nível de ameaça seja reduzido no curto prazo.

As informações do governo indicam que as ameaças de atentados estão partindo não apenas de radicais da rede al-Qaeda no Paquistão e de grupos associados sediados no norte e no leste da África, mas também de militantes solitários e de grupos não-vinculados à rede do dissidente saudita Osama bin Laden.

O analista da BBC para questões de segurança, Gordon Corera, afirma que a estratégia do governo é baseada em "quatro Ps": prevenir, perseguir, proteger e preparar.

Corera diz que o governo reconheceu que o primeiro destes elementos - a prevenção - representa atualmente o elo mais vulnerável na corrente, que precisa de maior atenção.

A formulação da nova estratégia deve ser concluída ainda neste ano.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG