Grã-Bretanha quer dialogar com o Hezbollah

A Grã-Bretanha pretende reestabelecer laços com o grupo libanês Hezbollah, segundo afirmou nesta quarta-feira um alto funcionário do Ministério das Relações Exteriores britânico. O parlamentar Bill Rammell, da chancelaria de Oriente Médio, disse a um comitê do Ministério das Relações Exteriores que o governo pretende dialogar com a ala política do grupo.

BBC Brasil |

"Nosso objetivo é pressionar o Hezbollah a desempenhar um papel mais positivo e, especialmente, se distanciar da violência"
Desde meados do ano passado, o grupo integra o governo de unidade nacional no Líbano e o embaixador britânico em Beirute estaria mantendo contato com pelo menos um político do grupo desde então.

Fazem parte do Hezbollah guerrilheiros, parlamentares, trabalhadores de áreas sociais, médicas e do setor da construção. Todos os integrantes recebem treinamento militar.

Um outro oficial que preferiu permanecer anônimo disse que, porque o Líbano atravessa grande instabilidade política e em termos de segurança, o governo britânico faria todo o possível para apoiar a administração libanesa.

A Grã-Bretanha não tem contato com o Hezbollah desde 2005 e, em 2008, colocou a ala militar do grupo na lista de organizações que apoiam o terrorismo, acusando-os de treinar insurgentes no Iraque.

Rammell, no entanto, disse que não há mudança de postura planejada em relação ao grupo militante palestino Hamas.

Ele disse que o governo britânico deseja dialogar com o grupo palestino, mas isso só aconteceria depois que o Hamas aceitasse o direito de Israel existir e rejeitasse a violência.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG