Grã-Bretanha propõe papel político para o Taleban no Afeganistão

O ministro das Relações Exteriores da Grã-Bretanha, David Miliband, propôs, nesta segunda-feira, uma mudança na estratégia de estabilização política do Afeganistão e pediu que o governo do país negocie com membros moderados do Taleban.

BBC Brasil |

Em um discurso na sede da Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte), em Bruxelas, Miliband afirmou que, além da ofensiva militar, uma solução política é fundamental para a estabilização do Afeganistão.

Segundo o chanceler britânico, esta solução inclui dar a oportunidade para que alguns insurgentes moderados que atualmente lutam contra as tropas da coalizão e do governo afegão possam ser reintegrados à sociedade, exercendo, inclusive, cargos na política.

"Isto significa, a longo prazo, um ajuste político inclusivo no Afeganistão, separando aqueles que querem que a lei islâmica seja aplicada em nível local daqueles comprometidos com a violenta jihad global, e dando a eles (os moderados) um papel suficiente na política local de modo que eles possam abandonar o caminho de confronto com o governo", disse.

"Oportunidades"

Miliband ainda afirmou que é necessário fazer uma distinção entre os "ideólogos linha-dura" e "terroristas jihadistas" dentro do Taleban e outros grupos - "que devem ser combatidos e derrotados" - daqueles que podem ser "atraídos para o processo político".

Para o chanceler, caso estes moderados abandonem a violência, a oportunidade de participar do processo político deve ser dada a eles. "Estes afegãos devem ter a oportunidade de escolher um caminho diferente", afirmou.

Os oposicionistas do Partido Conservador da Grã-Bretanha, no entanto, afirmam que não há nada de novo na proposta de Miliband, já que negociações entre o governo de Cabul e o Taleban acontecem há anos.

"Sucesso"

Também nesta segunda-feira, o comandante das tropas britânicas no Afeganistão, o general de brigada Tim Radford, afirmou que a primeira fase da operação "Garra de Pantera", que acaba de ser finalizada, foi um "sucesso".

A operação, que tem como objetivo aumentar a segurança na Província de Helmand antes das eleições de agosto, resultou na morte de nove britânicos. Outros 11 morreram em operações separadas durante o mês de julho.

Apesar das mortes, Radford reiterou que a operação foi bem sucedida.

"Estou absolutamente certo de que a operação foi um sucesso. Nós conseguimos atingir de maneira significativa o Taleban nesta região, tanto em termos de sua capacidade (militar) quanto em termos morais".

Acordo

A pouco menos de um mês das eleições presidenciais de 20 de agosto, o governo afegão anunciou, nesta segunda-feira, ter feito um acordo temporário de cessar-fogo com insurgentes do Talebã na Província de Badghis, no noroeste do país.

De acordo com o governo, os insurgentes teriam se comprometido em não atacar postos eleitorais na Província e permitir o trabalho de tropas do governo.

Pouco após o anúncio, no entanto, um porta-voz do Taleban desmentiu esta informação, afirmando que nenhum acordo pode ser alcançado e uma única Província, enquanto confrontos ocorrem no restante do país.

Leia mais sobre Taleban

    Leia tudo sobre: afeganistãogrã-bretanha

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG