Grã-Bretanha inicia vacinação em massa contra gripe suína

A Grã-Bretanha deu início nesta quarta-feira a um programa de vacinação em massa contra a gripe suína, semanas antes da chegada do inverno no hemisfério norte. Pacientes de hospitais em estado grave, médicos e enfermeiros serão os primeiros a receber a vacina, dos 14 milhões de pessoas identificados como grupo prioritário.

BBC Brasil |

A partir da semana que vem, médicos de família vão contatar pessoas com problemas de saúde, sistema imunológico prejudicado e mulheres grávidas para que recebam a vacina.

As autoridades médicas envolvidas no programa pediram a todos do grupo prioritário que tomem a vacina. O governo ainda vai decidir se o resto da população também deverá ser imunizado.

Os Estados Unidos, a Austrália e a China já estão com campanhas de vacinação contra gripe suína em andamento.

As autoridades médicas chinesas iniciaram na terça-feira um programa de vacinação em massa em Pequim, em que esperam imunizar 5 milhões de pessoas até dezembro.

Entre as prioridades chinesas estão estudantes de escola primária e secundária, médicos, enfermeiros, funcionários públicos e idosos acima dos 60 anos.

Pandemia
Na Grã-Bretanha, o auge da pandemia até agora ocorreu no verão, mas nas últimas semanas, o número de casos voltou a subir. Até outubro, foram registradas 106 mortes no Reino Unido por causa do vírus.

O chefe de Saúde do governo, Liam Donaldson, disse que o programa de vacinação está começando bem a tempo para o inverno, quando teme-se que uma nova onda de gripe suína afete a região.

"Esta é a primeira pandemia para a qual temos uma vacina para proteger as pessoas. Peço a todos no grupo de prioridade que tomem a vacina", disse Donaldson.

Apesar de a vacina ter sido produzida mais rapidamente do que o normal, Donaldson negou que ela tenha sido apressada e ressaltou que é segura.

Segundo ele, intensivos testes em um protótipo permitiram aos fabricantes produzir a vacina rapidamente, uma vez que as amostras do vírus H1N1 - da gripe suína - se tornaram disponíveis.

As autoridades também ressaltaram a importância de médicos e enfermeiras tomarem a vacina, para não transmitir o vírus para pacientes ou familiares.

O programa de vacinação representa um grande desafio logístico para os serviços de saúde e deve levar dois meses para ser completado.

Ele será implementado junto a uma campanha de vacinação contra a gripe comum, e forçou clínicas britânicas a contratarem mais funcionários para lidar com a demanda.

De acordo com o sistema criado pelo governo, o grupo de prioritários foi dividido em quatro.

As pessoas com menos de 65 anos com problemas de saúde e sistemas imunológicos prejudicados, como pacientes de quimioterapia, vão ser vacinados primeiro.

Em seguida, serão vacinadas as mulheres grávidas, depois pessoas que moram com indivíduos que tenham o sistema imunológico comprometido e, depois, as pessoas com mais de 65 anos que tenham problemas de saúde.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, quase 5 mil pessoas morreram de gripe suína em todo o mundo, neste ano. Estima-se que 400 mil pessoas tenham sido contaminadas pelo vírus.

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG