Grã-Bretanha: Homem de 71anos é detido por escândalo dos grampos

Segundo imprensa local, Stuart Kuttner, ex-editor do News of the World, é interrogado sobre suposto envolvimento em escutas ilegai

iG São Paulo |

Getty Images
Fachada do edifício da sede da Scotland Yard em Londres (foto de arquivo)
A Scotland Yard (Polícia Metropolitana de Londres) deteve nesta terça-feira um homem de 71 anos acusado de envolvimento no escândalo de escutas ilegais do extinto tabloide britânico News of the World . A polícia não identificou o homem, mas a imprensa local afirmou se tratar de Stuart Kuttner, ex-editor do jornal.

Kuttner está sob custódia da polícia para ser interrogado. Ele é acusado de conspirar para interceptar comunicações e também de corrupção. Ele deve ser solto ainda nesta terça-feira, sob fiança.

Com isso, passam de dez as detenções feitas durante as investigações do escândalo do News of the World, que deixou de circular no dia 10 de julho. Entre os outros detidos está Rebekah Brooks , ex-editora do tabloide e ex-editora-executiva da News International, o braço britânico da News Corporation de Rupert Murdoch, que era dona do News of the World. Ela foi libertada sob fiança.

O tabloide é acusado de ter monitorado os telefones celulares de milhares de pessoas, incluindo políticos e celebridades. No sábado, a Scotland Yard afirmou que uma nova investigação será aberta para determinar se o News of the World também utilizou o serviço de hackers para obter informações.

De acordo com o jornal The Guardian, a investigação acontece após denúncias de que o tabloide teria contratado hackers que enviavam emails com um vírus de computador chamado Trojan. O vírus dava ao hacker acesso total ao computador e permitia que a compilação de informações particulares.

Inquérito judicial

Na quinta-feira, o juiz britânico Brian Levenson abriu oficialmente o inquérito público judicial sobre o escândalo de escutas ilegais, que ocorrerá paralelamente ao inquérito policial.

A comissão responsável pela investigação é formada por outros seis integrantes, entre eles dois jornalistas, um ex-chefe de polícia e um ativista das liberdades civis.

Segundo Levenson, em primeiro lugar o grupo vai avaliar a legislação relativa aos meios de comunicação e se é necessário fazer alterações. "Haverá um debate sobre os limites da ideia de interesse público", indicou o juiz.

Depois, a investigação vai analisar a relação entre a imprensa, a polícia e os políticos na Grã-Bretanha. As audiências públicas começarão em setembro e o grupo tem 12 meses para finalizar um relatório sobre o caso.

Levenson afirmou que tem o poder legal para exigir evidências das testemunhas e que planeja utilizá-lo, caso elas se recusem a colaborar com as investigações.

"Para algumas pessoas oode ser tentador sugerir que o problema é ou era apenas de um grupo de jornalistas do News of the World, mas eu encorajo a todos a pensar de forma mais ampla sobre o bem público e me ajudar a chegar à raiz do problema', afirmou.

Com AFP, EFE e AP

    Leia tudo sobre: news of the worldgrã-bretanhamurdochgrampos

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG