Grã-Bretanha enfrenta falta de doadores de esperma

LONDRES (Reuters) - Uma revisão rigorosa dos serviços de doação de esperma na Grã-Bretanha é necessária para enfretar uma escassez do material, disseram especialistas em fertilidade na quarta-feira. A Sociedade de Fertilidade Britânica (BFS na sigla em inglês) afirmou que a retirada do anonimato dos doadores em 2005 pode ter contribuído para reduzir o número de voluntários, deixando a Grã-Bretanha em apuros para responder à demanda por doações de esperma.

Reuters |

Anualmente, cerca de 400 pacientes precisam de doação de esperma e muitas clínicas têm longas listas de espera ou estão sendo forçadas a suspender o serviço.

Em artigo no British Medical Journal, Mark Hamilton e Allan Pacey, da BFS, afirmam que mais famílias poderiam se criadas a partir de um único doador.

Os autores disseram que é necessário no mínimo 500 doares por ano, mas em 2006 foram apenas 307.

Eles também sugeriram uma mudança no serviço de recrutamento para aumentar o número de doadores.

Atualmente, 35 por cento dos doadores em potencial são perdidos após sua primeira entrevista e nunca são procurados, segundo Hamilton e Pacey.

Os especialistas, no entanto, descartam integrar doadores com idade acima do limite atual de 40 anos ou reduzir o nível aceitável de qualidade do sêmen.

(Reportagem de Michael Holden)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG