Por Adrian Croft e Reese Ewing VIÑA DEL MAR, Chile (Reuters) - O primeiro-ministro britânico, Gordon Brown, exortou os demais líderes mundiais a evitarem o protecionismo e a agirem no encontro do G20, no próximo mês, em Londres, para superar a crise global.

Brown e a presidente do Chile, Michelle Bachelet, se reuniram no resort costeiro de Viña del Mar, no Chile, na sexta-feira, durante um encontro prévio à cúpula do G20.

A reunião no Chile contará com outros líderes mundiais, incluindo o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e debaterá o papel dos Estados na crise econômica e soluções para proteger os pobres e o meio ambiente.

"Uma das mensagens que devem sair do encontro da próxima semana é a de que nós rejeitaremos tendências protecionistas", afirmou Brown, o primeiro premiê britânico a visitar o país sul-americano rico em cobre, em uma coletiva de imprensa com Bachelet.

"Monitoraremos esses países, apontaremos e envergonharemos se necessário os países que não estão seguindo as práticas de livre comércio, e trabalharemos para sustentar o sistema comercial do mundo com recursos adicionais", acrescentou.

Em Brasília, na quinta-feira, Brown exortou o G20 a apoiar uma expansão de 100 bilhões de dólares de financiamento comercial e pediu a conclusão de um acordo global de livre comércio.

Discursando em um seminário no início do Encontro de Líderes Progressistas, na noite de sexta-feira, Brown afirmou que os mercados não vinham trabalhando pelo interesse público e que reformas no sistema financeiro eram vitais.

"Temos que recomeçar e refazer nossas instituições. Temos que remodelar as regras do sistema financeiro", disse Brown, enquanto helicópteros da polícia o sobrevoavam e policiais patrulhavam a praia adjacente ao local.

"Precisamos de um novo FMI (Fundo Monetário Internacional)."

O encontro no Chile ocorre dias antes de uma reunião do G20, em Londres, para debater a pior crise econômica global em décadas.

"Se os trilhões de dólares que estão sendo mobilizados para superar a crise econômica internacional forem usados de forma sábia e criativa, podemos hoje responder internacionalmente para criar empregos decentes para milhares", afirmou Bachelet no seminário, acrescentando que também ajudaria a reduzir a pobreza e os riscos ambientais.

O presidente Lula, o vice-presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, o primeiro-ministro espanhol, José Luis Rodriguez Zapatero, o premiê norueguês, Jens Stoltenberg, a presidente argentina, Cristina Kirchner, e o presidente uruguaio, Tabaré Vazquez, também estão no encontro.

(Reportagem adicional de Rodrigo Martinez e Antonio de la Jara)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.