Grã-Bretanha acusa China por resultado de conversas sobre clima

LONDRES (Reuters) - O ministro britânico do Meio Ambiente, Ed Miliband, acusou China, Sudão, Bolívia e outros governos de esquerda da América Latina de tentarem sequestrar a cúpula da ONU sobre o clima para impedir um acordo, disse o jornal Guardian nesta segunda-feira. A cúpula, realizada em Copenhague, terminou com um acordo mínimo no sábado, quando delegados concordaram com um documento promovido por Estados Unidos, China e outras potências emergentes que ficou aquém dos objetivos originais.

Reuters |

Miliband escreveu em um artigo no Guardian que a Grã-Bretanha deixará claro para os países que são contrários a um acordo legalmente vinculante que "não permitiremos que eles bloqueiem o progresso global".

"Não podemos permitir novamente que as negociações em pontos de real substância sejam sequestradas desta forma", disse Miliband.

"Não conseguimos um acordo na redução em 50 por cento das emissões globais até 2050 ou sobre redução em 80 por cento dos países desenvolvidos."

"Ambas foram vetadas pela China, apesar do apoio de uma coalizão de países desenvolvidos e de uma ampla maioria de países em desenvolvimento."

O Guardian disse que, embora a China tenha sido a única mencionada especificamente no artigo de Miliband, assessores deixaram claro que ele também se referia a Sudão, Venezuela, Bolívia, Nicarágua e Cuba, que também teriam tentado resistir à assinatura de um acordo.

(Reportagem de William James)

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG