Governo tibetano no exílio saúda prosseguimento do diálogo com a China

O governo tibetano no exílion, na Índia, saudou a reunião de domingo entre autoridades chinesas e representantes do Dalai Lama e comemorou o fato de Pequim ter se comprometido a prosseguir com as conversações sobre a situação no Tibete.

AFP |

"O fato de estar mais uma vez em contato é particularmente vital para a questão tibetana", declarou à AFP o porta-voz do governo tibetano no exílio, Thubten Samphel.

"Também é satisfatório que a China concorde em honrar uma próxima reunião", declarou em Dharamsala, na área indiana do Himalaia, onde o Dalai Lama, líder espiritual dos tibetanos, vive exilado desde 1959.

Representantes do Dalai Lama no exílio e do governo chinês se reuniram domingo, dois meses depois dos distúrbios sangrentos do Tibete que deixaram 20 mortos segundo a China, mas pelo menos 200 de acordo com o governo tibetano exilado.

Segundo a agência oficial Xinhua, as duas partes concordaram em manter novos contatos e consultas em uma data apropriada.

O encontro, a portas fechadas, aconteceu em Shenzhen, sul da China, e foi o primeiro conhecido publicamente entre os dois lados em quase um ano.

O presidente chinês, Hu Jintao, manifestou o desejo de que os encontros tenham "resultados positivos".

O tema das conversas entre os enviados do Dalai Lama - Lodi Gyaltsen Gyari e Kelsang Gyaltsen - e autoridades chinesas será conhecido ainda esta semana, no retorno à Índia dos representantes tibetanos.

pc/fp

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG