Governo tailandês mobiliza o Exército após intervenção policial em Bangcoc

Bangcoc, 7 out (EFE).- O Governo tailandês ordenou hoje a mobilização de unidades militares em Bangcoc, após uma terceira intervenção das forças antidistúrbios para dispersar os milhares de simpatizantes da Aliança do Povo para a Democracia (APD), que exigem a dissolução do Parlamento em frente a esta instituição.

EFE |

As tropas antidistúrbios começaram a avançar em direção aos manifestantes pelos dois lados de uma das ruas que chegam ao edifício parlamentar, enquanto lançavam gás lacrimogêneo, segundo imagens da televisão nacional.

Essa é a terceira tentativa da Polícia de restabelecer a ordem desde que a APD bloqueou os acessos do Parlamento em Bangcoc, para evitar o debate hoje de uma proposta para colocar emendas à Constituição de 2007.

Pelo menos 165 pessoas ficaram feridas nos confrontos com os corpos de segurança, sem contar um homem de cerca de 40 anos que morreu devido a uma explosão no veículo 4x4 onde estava sentado, junto à sede do partido Chart Thai, que faz parte da coalizão que governa o país.

O departamento de medicina legista afirmou que a vítima fatal estava com a carga explosiva no bolso.

A vítima fatal de nacionalidade tailandesa pertencia à APD, segundo a rádio.

Dois agentes policiais ficaram levemente feridos a tiros disparados por desconhecidos, enquanto outros dez agentes foram hospitalizados ao serem atropelados por um veículo de simpatizantes do APD.

Um porta-voz do Exército informou que tinham definido patrulhas conjuntas na área dos protestos, para garantir a segurança.

Os líderes do APD, que ocupam a sede do Governo em Bangcoc desde 26 de agosto, prometeram continuar os protestos enquanto governar o Partido do Poder do Povo (PPP), que consideram um instrumento do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, deposto após um golpe militar em 2006. EFE tai/an

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG