Governo tailandês declarará toque de recolher diante de novas manifestações

Bangcoc, 25 ago (EFE).- O Governo da Tailândia anunciou hoje que por ocasião das manifestações convocadas pela oposição para o próximo fim de semana, aplicará a lei de segurança que permite decretar o toque de recolher e colocar o Exército nas ruas.

EFE |

Os seguidores da Frente Unida para a Democracia e Contra a Ditadura, a plataforma política criada pelos seguidores do ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, planejam novos protestos em Bankok, a capital do país, para exigir a dissolução do Parlamento e a realização de eleições antecipadas.

"O Gabinete já está de acordo sobre usar a Ata de Segurança Interna entre os dias 29 de agosto e 1 de setembro para prevenir que os manifestantes ocupem instalações oficiais", anunciou o chefe do Executivo, Abhisit Vejjajiva.

A entrada em vigor da Ata autoriza também às forças de segurança restringir o acesso do público às áreas da cidade nas quais estão localizadas as edificações governamentais e proíbe as reuniões públicas de mais de cinco pessoas.

Segundo Vejjajiva os seguidores do ex-primeiro-ministro Shinawatra pretendem causar alvoroços similares aos de abril, que causaram dois mortos e mais de 120 feridos.

Shinawatra, deposto em setembro de 2006 em um golpe de estado perpetrado pelos militares, fugiu da Tailândia em 2008 para escapar da pena de dois anos de prisão que lhe impôs um tribunal por delito de corrupção cometida quando governava.

Há várias semanas a Frente iniciou uma campanha em nível nacional para pedir o perdão real a Shinawatra, que desde sua fuga se estabeleceu temporariamente em Dubai. EFE grc/fk

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG