Governo sudanês e ONU iniciam desarmamento de 180 mil combatentes

Cartum, 10 fev (EFE).- As autoridades sudanesas e a ONU iniciaram hoje o desarmamento e desmobilização de cerca de 180 mil combatentes do sul que lutaram contra o norte do Sudão em um conflito que durou 21 anos.

EFE |

O anúncio foi feito pela ONU em comunicado no qual detalha que a medida ocorreu no marco de um programa de desmobilização e desarmamento para reinserir os guerrilheiros do Exército Popular de Libertação do Sudão (EPLS) na sociedade.

O desarmamento começou com uma cerimônia na qual 15 milicianos foram beneficiados, e que ocorreu em Al Damazin, capital da região do Nilo Azul, localizada no leste do Sudão, nas proximidades da fronteira com a Etiópia, explica a nota.

Na primeira fase, o programa tem o objetivo de desarmar cinco mil guerrilheiros do EPLS, e, no total, serão 180 mil desmobilizados, concluiu o comunicado.

A coordenadora humanitária da missão da ONU no Sudão, Amira Haq, destacou que esse desarmamento é um acontecimento notável do cumprimento do tratado de paz assinado entre as autoridades do norte e os dirigentes do EPLS em janeiro de 2005. EFE az/db

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG