Cartum, 17 ago (EFE).- O Governo do Sudão aceitou hoje abrir os aeroportos da região de Darfur às forças de pacificação da ONU e da União Africana (Unamid) para facilitar seu desdobramento na região, castigada por uma guerra há cinco anos.

O anúncio foi feito pelo representante da Unamid em Cartum, Rudolph Adada, em entrevista coletiva concedida após se reunir com o subsecretário de Assuntos Exteriores sudanês, Mutrif Seddik.

O funcionário destacou que a medida sudanesa inclui também o novo aeroporto da cidade de Al-Yuneina, no oeste de Darfur, próxima à fronteira com o Chade.

Nesse contexto, Adada disse que o Governo sudanês reabilitará as pistas de aterrissagem de Darfur para facilitar a aterrissagem de grandes aviões.

Além disso, antecipou que as autoridades sudanesas aceitaram outorgar vistos às tropas da Unamid.

As declarações de Adada coincidem com o anúncio da chegada a Darfur do primeiro contingente das tropas etíopes que participarão dos trabalhos da Unamid.

O porta-voz da Unamid, Nuredin al-Mazni, afirmou que os soldados etíopes, que chegaram ontem a Al-Fashir, capital do norte de Darfur, operarão nas zonas de Kalabs e Saleiya, no oeste da zona, próxima ao Chade.

O primeiro grupo de militares etíopes é composto por entre 150 e 200 soldados, e espera-se que entre hoje e amanhã cheguem outros três contingentes para completar o total de 350 tropas enviadas pela Etiópia a Darfur.

A missão da Unamid em Darfur, que deve contar com 26 mil soldados, foi autorizada em julho de 2007 pelo Conselho de Segurança da ONU para proteger a população civil, oferecer ajuda humanitária e favorecer um entorno de segurança que favoreça a paz na região.

O conflito de Darfur explodiu em fevereiro de 2003, quando dois grupos rebeldes pegaram em armas contra o regime de Cartum em protesto contra a situação da província.

Desde então, cerca de 300 mil pessoas morreram e outros dois milhões e meio se viram obrigados a abandonar seus lares, segundo cálculos da ONU. EFE az/gs

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.