Governo quer vacinar 62 milhões contra gripe A entre março e maio

Brasília, 26 jan (EFE).- O Ministério da Saúde anunciou hoje em comunicado que espera vacinar pelo menos 62 milhões de pessoas contra a gripe A entre 8 de março e 7 de maio, numa campanha que terá quatro etapas e termina antes da chegada do inverno.

EFE |

Nestas fases, a vacinação será voltada a trabalhadores do sistema de saúde, indígenas, grávidas, pessoas com doenças crônicas e obesidade grau 3 (antiga obesidade mórbida), crianças de 6 meses a 2 anos e adultos de 20 a 29 anos.

Entre 8 e 19 de março, serão vacinados os trabalhadores do sistema de saúde e indígenas. De 22 de março a 4 de abril, será a vez dos doentes crônicos e das crianças de 6 meses a 2 anos.

Em seguida, entre 5 e 23 de abril, a campanha chega aos adultos de 20 a 29 anos. A última etapa, de 24 de abril a 7 de maio, coincide com a campanha de vacinação contra a gripe comum e tem como alvo os idosos.

Segundo o Ministério, os idosos que tiverem doenças crônicas também serão vacinados contra a gripe A.

As gestantes poderão ser vacinadas entre a segunda e a quarta etapas.

Com isso, parte das 83 milhões de doses da vacina para a gripe A compradas pelo Ministério da Saúde ficará reservada para o caso de "alterações epidemiológicas ao longo do inverno e eventual necessidade de ampliar o público-alvo", diz a nota.

O ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou em entrevista coletiva que esta campanha de vacinação será "será o maior desafio já enfrentado pelo Programa Nacional de Imunização" devido a sua complexidade.

"Estamos protegendo os grupos mais frágeis e aqueles que têm maior risco de adoecer e morrer", explicou.

Segundo o Ministério, o objetivo da vacinação em massa é manter os serviços de saúde em funcionamento e reduzir o número de casos graves e falecimentos, e não conter a disseminação do vírus A(H1N1), já presente em 209 países.

Na primeira onda da gripe A, as autoridades registraram 1.705 mortes e 39.679 casos de doença respiratória grave decorrentes do vírus A(H1N1). EFE mp/bba

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG