Governo peruano indica que protestos deixaram 24 policiais e 9 civis mortos

O governo peruano indicou neste sábado em um comunicado que o número oficial de mortos nos protestos de 5 e 6 de junho chega a 33 -24 policiais e 9 civis- e rejeitou versões de que existem mais vítimas entre os nativos.

AFP |

O comunicado ressalta que "o lamentável resultado foi de 33 pessoas mortas (...), segundo dados oficiais. Ficaram feridas 155 pessoas, das quais apenas 12 são mantidas hospitalizadas".

As autoridades peruanas informaram também que "o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICV) está presente na região do conflito e tem a autorização irrestrita para realizar seu trabalho humanitário".

O número oficial de 33 mortos revisa para baixo os dados do próprio governo divulgados esta semana pelo primeiro-ministro Yehude Simon, que falou em 34 mortos.

Organizações indígenas anunciaram entre 30 e 50 nativos mortos durante o enfrentamento que teve como epicentro a cidade amazônica de Bagua (nodeste).

O governo peruano enfatizou que "vários policiais foram torturados e brutalmente assassinados" pelos manifestantes.

Os protestos foram desencadeados em rejeição a um pacote de leis sobre o desenvolvimento da Amazônia, que os indígenas acreditam que prejudicam o meio ambiente e os expulsa de seus territórios ao dar prioridade à exploração de hidrocarbonetos.

ljc/dm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG