Governo paraguaio contrata transexual e gay para conter discriminação

ASSUNÇÃO - O governo do Paraguai incorporou, nesta quarta-feira, como funcionários da Secretaria de Emergência Nacional (SEN) um transexual e um homossexual, dentro de um processo que busca pôr fim à discriminação e à exclusão.

EFE |

Camilo Soares, titular da SEN, organismo que conta com categoria de ministério, informou em entrevista coletiva sobre a contratação do homossexual José Luis Benítez, de 25 anos, que trabalhava em uma oficina mecânica, e do transexual Yeinny Monserrat González (35), cabeleireiro.

Soares lembrou que a iniciativa é a primeira do tipo no país e que "não há dúvida" de que nas dependências estaduais "há muitas pessoas que têm uma opção sexual diferente, mas infelizmente têm que vivê-la de maneira oculta e clandestina" perante o temor de discriminação.

Além disso, pediu aos funcionários do SEN que sejam tolerantes com os novos companheiros de trabalho e estimulou outros organismos estaduais a imitar a iniciativa.


Leia mais sobre Paraguai

    Leia tudo sobre: discriminaçãohomossexualparaguaitransexual

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG