Governo paquistanês ameaça acusar líder opositor Sharif de provocar tumulto

O governo paquistanês ameaçou nesta segunda-feira acusar de provocação de tumulto o principal líder da oposição, Nawaz Sharif, por ter convocado a população para protestar contra uma decisão judicial que o proíbe de assumir cargos políticos.

AFP |

O ex-primeiro-ministro, Nawaz Sharif, multiplicou nos últimos dias seus discursos a milhares de partidários no Paquistão, acusando o presidente, Asif Ali Zardari, de ter manipulado o veredicto de 25 de fevereiro da Suprema Corte.

Nawaz Sharif fez um apelo à população para que se junte à manifestação marcada para quinta-feira pelos advogados paquistaneses, para reivindicar a reabilitação em seus postos dos juizes destituídos pelo anterior regime militar de Pervez Musharraf.

O principal conselheiro do ministério do Interior, Rehman Malik, disse nesta segunda-feira que as declarações do ex-primeiro-ministro e de seu irmão Shahbaz, afetado também pelo mesmo veredicto judicial, "se encaixam na categoria provocação de tumulto".

Em entrevista à imprensa, Rehman Malik leu um artigo do código penal paquistanês que "castiga com prisão perpétua" as palavras de ódio ao governo federal ou da província.

O veredicto da Suprema Corte, a mais alta autoridade judicial do Paquistão, confirmou uma decisão judicial anterior pronunciada em junho de 2008 que desabilitou Nawaz Sharif para a política devido às condenações penais contra sua pessoa.

A decisão da Suprema Corte desencadeou as principais manifestações no Paquistão desde à chegada à presidência, em setembro de 2008, de Asif Ali Zardari.

mmg-sz/lm

    Leia tudo sobre: iG

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG