Governo japonês pede que população não estoque combustível e comida

O porta-voz do Governo, Yukio Edano afirmou que o país não enfrenta problemas de escassez de gasolina

EFE |

O Governo do Japão pediu nesta quarta-feira que a população das regiões a salvo do terremoto tenha moderação à hora de estocar comida e combustível, para garantir que haja quantidade suficiente nas áreas devastadas.

"O abastecimento de combustível piora nas zonas mais afetadas pelo terremoto, pelo que colocamos todos os nossos esforços para assegurar a provisão nestes lugares", assinalou o porta-voz do Governo, Yukio Edano, em entrevista coletiva.

Desta forma, Edano fez o apelo para que os cidadãos evitem o "pânico" em suas compras de combustível, dado que a prioridade é o fornecimento nas áreas do país mais afetadas pelo terremoto e o posterior tsunami.

O ministro da Defesa japonês, Toshimi Kitazawa, assegurou que sua pasta forneceu combustível que a Força Aérea de Autodefesa do Japão (JASDF) havia armazenado em suas bases por todo o país.

A agência "Kyodo" informou que essas reservas de combustível serão repartidas a partir desta quarta-feira por avião na província de Miyagi, a mais devastada pelo tremor.

Edano indicou que o Japão não enfrenta problemas de escassez de gasolina, já que vários países ofereceram suas reservas.

Com relação aos alimentos, o porta-voz do Governo pediu calma com os estoques, depois que ficaram vazias as estantes de alguns supermercados.

Edano disse que os cidadãos não devem se preocupar com a falta de provisão de produtos de primeira necessidade, e o ministro da Agricultura, Michihiko Kano, afirmou que os depósitos governamentais liberarão suas reservas de arroz.

"Peço ao público que atue com calma e não acumule mais alimentos dos necessários pela urgente necessidade nas zonas devastadas", indicou Kano.

As autoridades também pediram que a população continue a economizar energia, enquanto mais blecautes são esperados devido à crise na usina nuclear de Fukushima.

A Tokyo Electric Power acredita que precisarão ser mantidos até o fim de abril os cortes de luz em várias províncias da ilha de Honshu, que por enquanto não afetarão o centro de Tóquio.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG